fotos

Pica grossa da quebrada


Pica torta, grande e grossa arregaçou-me!

Olá gente, o que vou relatar aconteceu realmente, no ano passado. Foi a minha segunda relação sexual (a 1ª conto depois). Eu havia acabado de ganhar um notebook novo e eu passava altas horas da noite jogando Habbo Hotel (sim, eu tinha apenas 18 anos e jogava isso sim, só que com a intenção de “transar” virtualmente, nós apenas colocávamos roupas da cor da pele e ficávamos falando coisas como ‘que delicia, que picão’… Isso me excitava). Bem, como eu ainda era virgem e já estava louco pra dar, comecei a entrar no bate-papo da UOL logo na primeira noite choveu macho querendo tirar minha virgindade. Um cara logo me interessou, pois ele me mandou por e-mail fotos de sua pica, e que pica! Era morena clara, tinha uns 21cm, a cabeça era rosadinha e que cabeça! Mas o que me intrigava era aquela curvatura, era de botar medo em um virgem, torta, grossa e grande, mas eu sentia meu cuzinho piscando querendo ela pessoalmente. Trocamos telefone e conversamos durante uns 4 meses até podermos nos encontrar, em meio à isso tive a minha primeira vez com outro cara, depois conto como foi. Em uma tarde de calor, eu estava só em casa e senti uma vontade louca de dar, então liguei pra ele, que rapidamente veio me encontrar. Marcamos em uma construção abandonada, quando o avistei de longe minhas pernas tremeram: ele tem 23 anos, moreno claro, magro, mas nem tanto, usava uma camiseta regata vermelha e uma bermuda de surfista rosa, ele estava encostado na parede da construção, e assim que me viu começou a alisar seu pau pela bermuda, que delicia, eu não via a hora de cair de boca naquele mastro torto. Então tratei de me apressar. Chegando perto dele perguntei com a voz tremula se ele estava bem, ele respondeu que sim, percebi que ele era tímido e que se eu não fizesse nada ele tbm não faria. Então cheguei bem perto dele, olhei em seus olhos e o beijei, dei um beijo bem gostoso e comecei a alisar seu corpo até chegar no pau, onde dei uma pegada daquelas que o fez suspirar. Tirei a sua camisa e virei de costas pra ele, e comecei a me esfregar naquele pau duríssimo. Depois ele tirou minha camisa e me virou de frente, e começou a me beijar, eu me esfregava nele, o agarrava e passava a minha mão em suas costas e por baixo da bermuda apertava sua bunda, que bunda gostosa! Foi ai que a minha garganta coçou e eu me abaixei na sua frente, abaixei a sua bermuda e a cueca e aquela pica deliciosa pulou, que tesão, uma pica enorme daquelas, bem na minha frente, assim que bati o olho cai logo de boca, botei a mão na base e comecei, masturbei ele um pouco e enfiei na boca, mamava lentamente primeiro só aquela cabeça rosada que estava vermelha de tanto tesão e teimava a babar na minha boca. Eu, inexperiente deixava a baba escorrer pelo queixo, mas eu mamava como se não houvesse amanhã. Ai comecei a engolir de pouquinho em pouquinho aquele mastro torto, e que delicia ouvir os gemidos trêmulos dele. Ele tava que não se aguentava de tanto tesão, quando eu mamava olhando pra ele, ele pirava (já havia me contado que o que mais o excitava era isso) ai ele pediu pra mim tirar a roupa, obedeci, mas de jeito nenhum soltava aquela pica. Eu chupava muito, comecei a engolir tudinho, e as vezes me engasgava. Mas era tão gostosa, meu tesão ia subindo cada vez mais. Eu coloquei a mão dele em minha cabeça pra ele empurrá-la contra seu pau, adoro quando o homem faz isso, me deixa louco de tesão. Eu comecei a mamar bem rápido, com toda força aquele mastro, e ele começou a me pedir pra ir mais devagar, e eu que estava louco e dominado de tesão não conseguia ir mais devagar, cada vez mais rápido e com mais força, só largava aquela pica pra limpar a minha cara que estava toda babada. E eu estava cada vez mais louco, e entrei num frenesi, chupava e batia a pica na minha cara, engolia tudo, lambia as bolas, voltava a engolir tudo e ele me pedia calma, mas uma coisa muito louca estava acontecendo comigo e eu não conseguia parar, até que eu senti ele retorcer as pernas, e mandou muita porra na minha garganta, e haja porra! Não consegui engolir tudo, um pouco escorria pelo queixo, mas foi uma sensação deliciosa engolir aquele liquido branco, grosso e pastoso, como nunca mais vi!
E eu pensando que não ia dar meu cu, me enganei! O safado começou a bater a sua pica já mole enquanto pegava uma camisinha na mochila. Comecei a beijá-lo freneticamente, compartilhando de sua porra, ele lambia meu queixo onde havia escorrido um pouco, e eu me masturbava enquanto roçava a sua pica na minha, ai ele botou a camisinha, lubrificou com cuspe e me botou de costas, fiquei de 4 e pedi pra ele ir devagar porque eu sou muito apertadinho, então ele começou a roçar sua pica no meu anus, até que forçou a primeira entrada, sem sucesso, eu já estava com medo de nem conseguir andar depois. Ai ele cuspiu no meu cuzinho e me mandou relaxar. Forçou de novo, e dessa vez entrou. Eu dei um gemido igual de gata no cio “aaaaaaaaiiiiiiii” ele perguntou se estava doendo, eu disse que sim, mas que ele podia continuar. Ai ele forçou um pouquinho mais, e meu cuzinho, q é acostumado a levar dedadas no banheiro logo aceitou a entrada. A dor era suportável até a parte torta entrar. Dei um grito e sai, parecia que aquela pica estava encostando no meu estomago! Então nós tentamos novamente, bem devagarinho, quando a parte torta entrou doeu muito de novo, mas ele me segurou, e pediu pra relaxar, que a dor vai passar! Então ficamos nesse vai e vem devagar até eu começar a sentir prazer. Minha pica voltou a ficar dura e ele começou a bombar forte, eu sentia dores, mas era delicioso dar praquela picona! Ele me chamava de puta, veado e metia gemendo gostoso “ahh toma ahhh, toma nesse cuzinho, que delicia ahhhh, toma veadinho, toma, deixa eu gozar nesse cu, ahhhhhh” eu só respondia “ me come, Leandro, me come gostoso, ai, me arregaça deliciaaa, aiiiiii, que gostoso!” ai ele começou a me bombar com mais força, segurou na minha cintura e meteu até o talo e gozou, eu dei um grito “aaaaiiiii” tinha doido muito aquela última enfiada! Ele tirou a pica bem devagar e eu não querendo nem chegar perto dela pedi pra eu me masturbar tocando na sua bunda, ele aceitou, eu bati gostoso enquanto apalpava aquela bundona deliciosa, passava o dedão no seu reguinho até gozar. Foi uma delicia, mas nunca mais nos vimos, o cara vivia me ligando enxendo a paciência querendo de novo, e eu só queria me recuperar das assaduras no cu! Depois de um tempo voltamos a nos falar, e dessa vez eu quero comer aquela bunda gostosa!

Texto original: Contos Eróticos

O texto acima é reproduzido igual ao original, incluídos erros ortográficos, pois, qualquer modificação no texto (por exemplo, correção de erros de escrita) poderá ser considerado como violação de direto autoral.